Igreja Nossa Senhora da Conceição é reinaugurada em Itajaí

No dia em que Itajaí completou 158 anos de emancipação política, 15 de junho, o público lotou a Igreja Nossa Senhora da Conceição, no centro do município, durante a inauguração do restauro da obra. O evento iniciou às 08h com uma alvorada festiva (queima de fogos), seguida da apresentação da Banda Filarmônica de Itajaí. O corte simbólico da fita foi feita pelo prefeito Volnei Morastoni, pelo pároco da Paróquia Santíssimo Sacramento, Pe. Sérgio José de Souza, e pelo Arcebispo Metropolitano, Wilson Tadeu Jönck, scj, que realizou a primeira Missa.

A celebração de reinauguração contou com o Coral Santíssimo Sacramento. Durante a cerimônia, Pe. Sérgio ressaltou que nesta data é escrita mais uma página da história de Itajaí, pois foi ao redor da igrejinha que a cidade se desenvolveu. “Foi motivo de grande dor quando tivemos que fechar a Imaculada Conceição, mas todos se mobilizaram para que a nossa igreja pudesse ser reaberta e reestruturada. Estamos hoje reunidos em ação de graças por este grande feito”, comentou.

A Igrejinha Velha, como é conhecida, é a mais significativa edificação arquitetônica do município, por seu valor histórico. Interditada desde 2013, após o desabamento do teto, a reforma e revitalização do local foi concluída e entregue à comunidade. Características originais como a cor e detalhes internos foram preservadas, trazendo um resgate de parte da história de Itajaí.

A dona Maria Borba, de 80 anos, paroquiana e frequentadora do local, se recorda do dia em que houve o incidente que causou a interdição da igrejinha. “Fiquei muito abalada, pois tenho muito amor por este lugar”, comenta. Com um sorriso no rosto, ela se diz animada em poder voltar a participar das missas na Imaculada. Ela e a amiga Maria de Lourdes Almeida Burg prestigiaram maravilhadas o resultado da obra. “Ficou muito linda!”, exalta Maria.

Para que o grande público pudesse prestigiar este momento tão importante para a história de Itajaí, foram colocadas cadeiras no lado externo da Igrejinha. No local, o público também pode acompanhar a celebração de um telão. Maria Júlia, 20, acompanhou cada detalhe da missa junto de sua família. “Somos muito religiosos e viemos prestigiar este evento com muito orgulho. Sempre vinha à missa aqui na Imaculada e fico feliz de poder voltar”, conta.

O investimento foi de quase R$ 3 milhões. Dentre os trabalhos executados está a remoção para recuperação dos retábulos (estrutura de madeira); peanhas (pequenos pedestais da parede); pia batismal e de água benta; retirada dos sinos, forro e telhas; estabilização do movimento das paredes laterais; reprodução das peças do piso; retelhamento; recuperação da cobertura com a restauração do madeiramento degradado, execução do reforço da fundação; restauro dos bens móveis da igreja; execução das novas instalações elétricas, de prevenção e combate a incêndio, de drenagem pluvial, ar condicionado, alarme, iluminação, iluminação cênica e hidrossanitárias, lógica e segurança, telefonia; recuperação da estrutura de suporte dos sinos; recuperação do piso, forro e tablados entre outros.

A Secretaria Municipal de Urbanismo fiscalizou todas as etapas da obra.

Sobre a Igrejinha

Situada onde ficava a primeira capela de Itajaí, a Imaculada Conceição foi construída na década de 1820, por Simeão, escravo do coronel Agostinho Alves Ramos. A edificação tornou-se a mais significativa e antiga do município, levando o nome de sua padroeira. Com o passar dos anos o prédio foi ampliado, mas foram preservados alguns dos seus traços arquitetônicos.

No local é possível apreciar várias obras do artista plástico local Dide Brandão, como painéis e pinturas de arte sacra. No seu interior, há vários crucifixos e diversas imagens esculpidas em madeira do século 19.

 

Fonte, texto: http://arquifln.org.br
Imagens: Fotomestria